| Home | links do setor | associados | diretoria |

Japoneses trocam malas velhas por novas

Jornal Valor
The Economist
05/09/2006

"Troque suas malas velhas por novas." Assim a Ace, uma das maiores fabricantes de malas do Japão, promoveu as novas malas que lançou no segundo trimestre. Suas vendas quase triplicaram este ano em comparação a 2005, parte de um boom que está levando o setor a depositar dinheiro no banco "aos baús". A maioria dos fabricantes de malas é de capital fechado, de modo que os números não são muito confiáveis, mas alguns relatos sugerem um salto de 50% nas vendas de malas este ano, e há gente do ramo que coloque esse número em patamares mais elevados.

A Ace saiu-se particularmente bem em sua promoção de três meses: ela armou um plano para recolher e eliminar malas velhas, já que leis de reciclagem recentes implementadas pelo governo japonês proíbem que elas sejam simplesmente jogadas junto com o lixo.

Por quê esse boom súbito? Em parte, ele se deve à tecnologia. Os fabricantes locais, que respondem por cerca de dois terços do mercado, lançaram novos modelos feitos de resina de policarbonato, que também é usada na fabricação de capacetes e escudos à prova de bala. Como o material é duro, ele pode ser bem fino, tornando as malas cerca de 30% mais leves que as tradicionais. A Sunco, uma fabricante de médio porte, afirma que as vendas dessas malas estão substituindo as vendas das malas antigas, e a preços maiores.

O fenômeno é também um sinal da recuperação econômica do Japão. Depois de uma década se preocupando em casa, os japoneses estão agora viajando mais para o exterior. Este é um bom motivo para a compra de uma mala nova com fechaduras aprovadas pela Transportation Security Administration dos Estados Unidos, que podem ser abertas e novamente fechadas por encarregados da segurança nos aeroportos americanos. Isso ajuda a diminuir o medo de roubos

Quase todas as malas são feitas agora na China (embora a Ace ainda as produza em sua fábrica de Hokkaido, ilha no norte do Japão). Mesmo assim, muitas empresas que fabricam malas ainda estão agrupadas no distrito de Taito, em Tóquio, onde fica o templo de Senso, um dos locais mais visitados pelos turistas no Japão. A Associação dos Fabricantes de Malas de Tóquio afirma que mais de dois terços de seus membros estão baseados ali. Isso data do período Edo, quando Taito era famoso pelos artesãos que trabalhavam com couro, que faziam selas para cavalos.

O distrito vizinho de Sumida era (e ainda é) o lar de muitas pessoas que trabalhavam com couro, e o rio Sumida, que divide os dois distritos, fornece um meio de transporte fácil para os artigos de couro. É claro que os materiais e o transporte mudaram desde então. A cor de maior sucesso de vendas da Ace este é ano é o vermelho vivo, que ajuda na localização das malas de resina de policarbonato nas esteiras de liberação de bagagem dos aeroportos.


Copyright © 2002 Sinacouro. Todos os direitos reservados